Família fundadora dos supermercados Apolónia conta história de 35 anos de sucesso

Efeméride assinala-se na sexta-feira, 23 de março, e dá o mote a uma entrevista com a família fundadora da cadeia algarvia de supermercados de luxo.

É uma das poucas marcas algarvias reconhecidas de norte a sul do país, sem esquecer o estrangeiro. Emprega 400 trabalhadores e tornou-se sinónimo de qualidade e variedade. Hoje com três lojas na região – Almancil, Galé (Albufeira) e Lagoa –, os supermercados Apolónia são um exemplo de negócio familiar de sucesso, que celebra este mês, 35 anos de atividade.

Foi um sucesso que Avelino Apolónia, fundador da cadeia de supermercados, não conseguiu antecipar quando abriu as portas do pequeno estabelecimento comercial de 100m2 (hoje com mais de 1000m2), em Vale d’Éguas, Almancil, com a sua mulher, Célia. Depois de emigrar para o Canadá aos 21 anos, onde trabalhou na indústria hoteleira e como cozinheiro, o empreendedor louletano passou os 18 anos seguintes entre os dois lados do Atlântico. Importou conhecimento, sobre alguns molhos e condimentos que ainda não havia no Algarve na altura e, principalmente, uma noção de atendimento ao público também ausente no Portugal dos anos 1980.

«Fui a Lisboa antes de abrir e trouxe um sortido daquilo que eu conhecia. O nosso primeiro cliente foi um estrangeiro», recorda. Avelino recorda que ia à capital de 15 em 15 dias para se reabastecer, trazendo grandes quantidades de ração para animais, algo que não se encontrava nos supermercados algarvios.

«O fundo da carrinha vinha cheio de Pedigree Pal. Trouxe uma certa qualidade de produto lá de fora, a fruta era toda certinha, calibrada. Hoje as coisas estão melhores, mas na altura mostravam-nos caixas de fruta muito linda por cima e, por baixo, era tudo miúdo. Na verdade, impus um profissionalismo que não existia, fui sempre atrás daquilo que o cliente queria e fomos crescendo assim», recorda.

Paulo e Eduardo Apolónia, filhos de Avelino e Célia, têm ajudado a manter e a expandir a marca. Apesar do supermercado fazer parte da sua vida desde sempre (lembram as férias de verão passadas a ajudar os pais), a verdade é que nunca pensaram que esta seria mesmo a sua vida profissional. Ambos estudaram engenharia informática em Lisboa, mas o seu percurso até à entrada oficial no negócio de família foi diferente. Paulo, o mais velho, concluiu o curso e chegou a trabalhar na Telecel, juntando-se à empresa em 1996, quando já ninguém pensava que o iria fazer. «Nessa altura, ele [o pai] já não estava a contar comigo, porque tinha casa em Lisboa e trabalhava lá, mas estava a passar por uma expansão da loja de Almancil e eu senti que precisava de ajuda», afirma, sentado entre o pai e o irmão num dos escritórios da loja de Lagoa.

Para Eduardo, foi uma inversão de papéis. Embora o seu trabalho no supermercado fosse uma ocupação de férias enquanto estudava engenharia informática, a dada altura tornou-se na principal, sendo hoje responsável pela parte comercial, financeira e de recursos humanos, enquanto o irmão trata da administração, expansão, informática e relação com o cliente. «Partilhamos uma administração muito executiva, porque somos uma família», explica Paulo. E o pai ainda manda? A careta do filho mais velho provoca risos. «Ele já não tem uma postura muito de controlo da operação», responde Paulo. «Eu gosto muito da relação com o cliente, é a minha área agora», interrompe Avelino. «Vou todos os dias à loja ver os clientes». E quantos almoços de família são passados a discutir negócios? «Tento que não sejam muitos», responde Paulo.

Foi com a ajuda dos irmãos que a pequena loja de Almancil cresceu e ganhou um centro logístico em Estoi, além de duas novas lojas, em 2008 e 2015, com as aberturas, respetivamente, na Galé e Lagoa. Este último supermercado é o maior do grupo (1750m2, três lotes de terreno no total) e uma das joias da coroa do Apolónia, provando rapidamente que a família conseguia replicar o conceito num espaço maior. Só no primeiro ano de atividade, a loja de Lagoa preencheu na totalidade três livros de elogios.

«A nossa prioridade não é o lucro que a empresa vai ter. O nosso primeiro objetivo é satisfazer o cliente, faz parte da cultura da nossa empresa; o segundo é ter lucro para se poder manter as pessoas por cá para satisfazer o cliente», nota Paulo. «Os nossos colaboradores tratam as pessoas de forma muito sincera e o cliente sente isso e regressa».

«Hoje a empresa já é muito profissional e existem aqui carreiras e formação contínua. As nossas três gerentes de loja começaram como operadoras de caixa», diz Eduardo. «O que nos surpreende é a forma como os nossos trabalhadores interiorizaram esta cultura e a passam uns aos outros», acrescenta Paulo.

O futuro da marca Apolónia passará por mais «qualidade, variedade, serviço e lojas», bem como pela aposta nas compras online. Lisboa e Porto estão na mira do grupo algarvio, bem como uma quarta loja na região. «Pode ser Lagos, Tavira ou Vila Real de Santo António, o que dita a abertura é a questão imobiliária, encontrarmos um espaço com o que precisamos», diz o filho mais velho do fundador.

O que é certo é que o grupo vai manter a sua filosofia, a mesma que permitiu mobilizar funcionários das três lojas num sábado à noite para responder a uma encomenda «faraónica», nas palavras de Paulo, de um sheikh que atracou o seu mega iate no porto de Portimão, no verão de 2016. «Ao fim de semana não há entregas, então fomos nós buscar produtos a fornecedores, juntámos pessoal das três lojas… O capitão elogiou-nos pela qualidade de tudo, disse que nunca tinha visto algo assim», diz Paulo. «Não existe nada aqui de complicado, apenas muito trabalho de toda a gente», conclui Eduardo.

Sexta-feira há champanhe e promoções até 50 por cento

De acordo com Hugo Andrade, diretor de Marketing da cadeia Apolónia, esta sexta-feira, 23 de março, «haverá descontos até 50 por cento em mais de 2000 produtos, ao longo de todo o dia de aniversário. Iremos oferecer aos clientes espumante da nossa marca para brindar, acompanhado por especialidades de pastelaria e café expresso, nas cafetarias. Teremos degustações, além de outras experiências com diferentes sabores e aromas». Ainda segundo o responsável, «Iremos celebrar a data em todas as lojas, de Almancil à Galé, passando por Lagoa. «Ao longo de três décadas e meia aprendemos, crescemos e melhorámos. Aqui temos os produtos mais simples do dia a dia, iguarias gourmet, lado a lado com artigos que respondem a orientações alimentares específicas, como dietas vegetarianas, baseadas em produção biológica, sem glúten, dieta paleo, entre outras», conclui.

Categorias
Destaque


Relacionado com: