Encerrada Unidade Móvel de Saúde de Castro Marim

Na sequência da última reunião de câmara, que decorreu ontem à noite na Biblioteca Municipal, foi encerrada a Unidade Móvel de Saúde (UMS) do concelho de Castro Marim, pelo chumbo da continuidade do protocolo com a Associação Social da Freguesia de Odeleite.

A funcionar em plenitude desde há três anos, a Unidade Móvel de Saúde de Castro Marim foi a primeira no país a garantir um médico a tempo inteiro, para além dos serviços de enfermagem. Percorria diariamente o interior do concelho, prestando cuidados a uma população envelhecida e carenciada nas cerca de 100 povoações mais dispersas e isoladas.

No entanto, em reunião de câmara, a proposta de continuidade apresentada pelo executivo com pelouros foi chumbada, por se considerarem inadequados os moldes em que esta UMS tem prestado os seus serviços.

A UMS de Castro Marim funcionava em articulação com a Associação Social da Freguesia de Odeleite, a Associação de Bem Estar Social da Freguesia do Azinhal, Centro de Saúde de Castro Marim e ARS Algarve.

O presidente da câmara municipal de Castro Marim, também médico e fundador da primeira UMS do país em Alcoutim (1995), Francisco Amaral, manifestou-se em reunião de câmara declarando que «isto é uma decisão inexplicável, penalizadora das gentes frágeis de Castro Marim, eu diria até que é uma decisão criminosa. O povo de Castro Marim não merece isto».

Categorias
Destaque


Relacionado com: