Edifício da antiga Escola Superior de Saúde poderá vir a ser residência universitária

Reitor Paulo Águas quer saber viabilidade económica do projeto para tomar uma decisão.

O Reitor da Universidade do Algarve (UAlg) Paulo Águas considera transformar o edifício da ex-Escola Superior de Saúde numa residência universitária.

Para o magnífico, saber a viabilidade financeira da transformação das instalações do imóvel, entretanto desativado, em residência universitária «é condição indispensável para o processo de tomada de decisão em curso», segundo divulgou hoje o gabinete de comunicação da Reitoria da UAlg.

Caso o projeto se concretize, «será um forte contributo para mitigar as dificuldades sentidas pelos estudantes em encontrar alojamentos a preços razoáveis na cidade de Faro».

Neste momento, os Serviços de Ação Social da UAlg contam com nove residências universitárias que totalizam 558 camas, destinadas aos estudantes de formação inicial e mestrados, e estão «totalmente lotadas».

O «barlavento» sabe que todos os anos letivos há listas de espera para aqueles que pretendem ter acesso a este tipo de alojamento.

A oportunidade surge na sequência da adesão da Universidade ao Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado (FNRE), na segunda-feira, dia 12 de novembro.

O FNRE é gerido pelo Fundiestamo (Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, SA), com envolvimento do Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, e irá promover a oferta habitacional para estudantes do ensino superior com dificuldade em encontrar habitações condignas a preços viáveis.

A Escola Superior de Saúde foi transferida para o campus de Gambelas, onde se encontra já a funcionar em pleno.

O edifício, agora sem função dentro da universidade, está localizado junto ao Teatro das Figuras, num dos principais acessos ao centro de Faro, ponto privilegiado para quem usa os transportes públicos da cidade, permitindo aos estudantes chegar aos campi em relativo pouco tempo.

Categorias
Destaque


Relacionado com: