Desidério Silva preocupado com estado do Serviço Nacional de Saúde no Algarve

O presidente do Turismo do Algarve, Desidério Silva, fez um apelo, em carta enviada ao ministro da Saúde para que tome medidas no sentido de «resolver de imediato o estado dos serviços de saúde» na região.

O responsável aponta os relatos e imagens dramáticas que os media todos os dias publicam sobre a forma desumana «como estão a ser tratadas as pessoas (residentes e turistas) sobretudo as mais idosas, que recorrem aos serviços de urgência dos hospitais da região do Algarve e particularmente o de Faro».

A insuficiência e deficiente qualidade dos «serviços hospitalares e de saúde da Região, para além de lamentáveis, provocam em residentes e turistas desconfianças e receios quanto à capacidade de resposta dos mesmos quando as pessoas precisam de aceder de urgência a esses serviços».

Desidério Silva considera que deste modo está a pôr-se em causa um turístico de excelência, o mais importante do país, premiado mundialmente, cujas «receitas contribuem substancialmente» para o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal.

Acresce que esta situação se verifica num momento em que mercados de turismo concorrentes estão a recuperar, ameaçando os fluxos de turismo para o Algarve.

O presidente da RTA afirma que a sua reivindicação é feita «não apenas pelo Turismo do Algarve mas principalmente, pelo direito fundamental de algarvios e visitantes» a serviços de saúde humanos e eficientes e atentem particularmente «nas necessidades dos mais carenciados e desprotegidos», que são os que mais sofrem.

Por fim, o responsável apela que sejam tomadas medidas urgentes para que as unidades hospitalares e os centros de saúde algarvios sejam dotado «dos meios técnicos e humanos suficientes para poderem dar resposta adequada às populações do Algarve».

Categorias
Destaque


Relacionado com: