Cascade Resort em Lagos abre cervejaria à portuguesa

Não é, nem poderia ser a lisboeta Trindade, mas é uma aposta invulgar na hotelaria algarvia de topo.
Os chefs André Cosme (pastelaria), Diogo Pereira (executivo), e Alexandre Luísa.

Seguindo a recente tendência de abraçar a portugalidade à mesa, e embora já esteja a funcionar desde o início do mês, foi só na sexta-feira, 25 de maio, que o Cascade Wellness & Lifestyle Resort, em Lagos, apresentou oficialmente os renovados restaurantes e bares. A grande novidade é o «The Gastropub» que apesar do nome em inglês, pouco ou nada tem de estrangeiro. Diogo Pereira, chef executivo, explicou ao «barlavento» que se inspira numa cervejaria portuguesa reinventada.

«Cada vez mais, as pessoas procuram a gastronomia, a história e a cultura portuguesa. Querem experimentar o que de melhor temos, como a cataplana e o peixe fresco. Fazê-lo num lugar como este, virado para o mar, penso que isso dá-lhes uma amostra muito interessante daquilo que o nosso país é». Todo o conceito foi pensado para «tentar traduzir o que seria o espaço descomprometido de uma cervejaria nacional». Algarvia, neste caso.

FFMS lisboa portugal

«Como estamos na zona do Barlavento, damos primazia aos petiscos e pratos tradicionais como lulas recheadas com enchidos de Monchique, atum à portimonense e claro, a toda uma panóplia de mariscos que temos à nossa disposição», garantiu. «Se calhar, num passado recente, não tínhamos ainda um destino tão sólido que permitisse inovar em termos da oferta. Era mais fácil apostar na segurança dos standards internacionais do que em conceitos nossos e trazê-los para a mesa», acrescentou Simone Gillig, diretora residente. «Hoje é mais fácil por uma razão: a cozinha portuguesa tem tido uma enorme exposição internacional. Tudo o que é português é muito valorizado. O país passou a ser reconhecido como um destino de qualidade. E já ninguém quer ver mais do mesmo», garantiu. O turista atual «procura o que é regional, típico, autêntico e diferente. E é isso que queremos passar aqui». A cervejaria aposta, por exemplo, da marca «dos Santos», fabricada por uma família luso sul-africana que estabeleceu há cerca de dois anos em Lagoa. Também a marca «Sagres» fez uma edição especial «Cascade» com lúpulos selecionados, no popular formato mini.

Lulas recheadas com enchidos de Monchique e papas de milho.

O resort, inaugurado em 2011, também renovou o restaurante de fine dinning, «Senses». Para o chef Diogo Pereira «é um desafio bastante interessante gerir dois espaços tão distintos com a mesma equipa. Mas está a correr bem, são cozinhas que dominamos, embora neste caso, o nível de exigência seja maior. Tudo requer uma apresentação contemporânea, moderna, diferente, muito cuidada, respeitando e dignificando a essência do produto em si», explicou. «É sofisticado, mas despretensioso. A carta está muito ligada ao que é tradicional e português», acrescentou Simone Gillig. Uma singularidade é a cozinha aberta. «Ver primeiro, provar depois», brincou. Em ambos os casos, «o feedback é muito positivo, sobretudo da parte de hóspedes que já nos visitavam. Gostam de ver mudanças e melhoramentos», assegurou.

Resorts são para todos

Para Simone Gillig, uma dificuldade com que os hoteleiros da nova geração se deparam é o preconceito. A ideia que estes empreendimentos destinam-se apenas aos hóspedes. «Os resorts não são fechados. Não são estanques. Qualquer pessoa os pode visitar. Temos os nossos restaurantes abertos ao público, tal como um spa e um ginásio abertos à comunidade», sublinhou. A responsável acredita que esta renovação pode incentivar a aproximação à população local. «As pessoas gostam de ter novidades. É muito importante conseguirmos comunicar que não são apenas para alguns, mas para todos. Temos, aliás, criado menus na cervejaria para quem trabalha aqui à volta possa vir almoçar e experimentar». Passar esta mensagem, «não é fácil, mas penso que há uma mudança de paradigma e a gastronomia, sem dúvida que ajuda».

Salada de polvo.

O Cascade Wellness & Lifestyle Resort, unidade de cinco estrelas em Lagos, tem 86 quartos e 56 apartamentos, tipologia T1 e T2 em regime de self catering, e três villae V4 com piscina. Tem dois campos de futebol e é bastante procurado para estágios de equipas de futebol. Foi nomeado pelo 6º ano consecutivo para Melhor Resort Desportivo Europeu nos World Travel Awards (os óscares mundiais do turismo). Para o ano, deverá ter uma nova ala com mais 22 quartos.

Categorias
Destaque


Relacionado com: