Ana Teresa Lehmann visitou empresas incubadas na UAlg

A secretária de Estado da Indústria, visitou hoje a Universidade do Algarve (UAlg), onde ficou a conhecer o trabalho desenvolvido pelo CRIA – Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia – e por algumas empresas incubadas na UAlg.

Ana Teresa Lehmann ficou muito agradada, mas não surpreendida, com o que aqui encontrou porque diz conhecer «o dinamismo da Universidade do Algarve e a excelência da investigação que aqui se faz. Ver in loco é outra coisa e desta forma fiquei muito satisfeita com o que pude observar». Segundo a secretária de Estado, as empresas visitadas, a laborar em áreas como a inteligência artificial, indústria 4.0, agroindústria, e produção de caviar, «têm um potencial de crescimento enorme, uma grande capacidade de criar negócio e de internacionalização».

No final da visita, Ana Teresa Lehmann estava visivelmente satisfeita por ter visitado «empresas de excelência». A governante foi recebida pelo reitor da UAlg, Paulo Águas. Seguiu-se uma breve apresentação do CRIA feita por Hugo Barros, coordenador desta Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia
.
Para Ana Teresa Lehmann a agroindústria é um setor fundamental para Portugal, e «o Algarve tem condições especiais. O CRIA da UAlg está a contribuir para que isso aconteça porque o ciclo está a ser alimentado».

Posteriormente, foram visitadas três empresas. A Sandworx, que tem como principal objetivo fornecer serviços na área da indústria 4.0, ou seja, serviços ligados às novas tecnologias, desde a inteligência artificial, passando pela visão computacional, até à internet das coisas e à automação.

A empresa Agro-On, que, entre outras atividades, se dedica à investigação sobre a cultura sustentável de halófitas, produzindo verduras da Ria Formosa, com um elevado padrão de qualidade. Vende salicórnia, sarcocórnia, valverde, sea fingers e rossio em vários supermercados com a marca RiaFresh.

A última empresa a ser visitada foi a Caviar Portugal, uma startup na área da aquacultura, fundada em 2012. O seu principal objetivo é desenvolver aquacultura de esturjão para obtenção de caviar, embora neste momento já desenvolva outros projetos ligados à aquacultura em Portugal e no estrangeiro. Recentemente foi financiada pelo Programa Operacional MAR 2020, num investimento total que ronda os 12 milhões de Euros, para a construção de uma unidade de produção em Vendas Novas, com capacidade para produzir cerca de seis toneladas de caviar por ano.

Categorias
Destaque


Relacionado com: