Algarvios despediram-se de Joaquim Guerreiro

Autarcas e personalidades fizeram uma breve homenagem, durante o Festival F, em Faro, ao mentor do evento, falecido na sexta-feira, 2 de setembro, após doença prolongada.

O diretor delegado do Teatro das Figuras Joaquim José Ramos Guerreiro, 49 anos, deixa um legado de relevante valor humano e profissional, onde se destacam inúmeros projetos culturais como o Festival F, o Alameda Beer Fest, ambos em Faro, o Festival MED, a Noite Branca e o Salir do Tempo, em Loulé.

Contribuiu para a valorização da arte contemporânea do Algarve, com a promoção de diversas exposições, fez parte da renovação de equipamentos culturais como o Cine-Teatro Louletano, a criação do CECAL, em Loulé, e encetou uma nova dinâmica e programação cultural do Teatro das Figuras, em Faro. Joaquim Guerreiro foi ainda um dos mentores da recente candidatura de «Faro, a Capital Europeia da Cultura».

O seu contributo foi determinante para o desenvolvimento da região, quer enquanto dirigente associativo, quer como membro de diversos órgãos autárquicos, tendo sido vereador eleito pelo Partido Social Democrata (PSD) na Câmara Municipal de Loulé, com os pelouros da Cultura, Eventos e Turismo, entre 2009 e 2013. Foi chefe do gabinete do presidente naquela autarquia louletana e ainda coordenador, durante oito anos, do Gabinete de Comunicação e Relações Públicas. Entre 2013 e a atualidade, foi o diretor delegado do Teatro Municipal de Faro.

O funeral realizou-se na segunda-feira, dia 4 de setembro, em Querença, e a igreja foi pequena para acolher as centenas de pessoas que lhe quiseram prestar uma última homenagem.

Categorias
Destaque


Relacionado com: