«Archery Fun» – Lagos já pratica tiro com arco

O tiro com arco não é, nem de longe, uma das modalidades mais praticadas no nosso país. O que não impede de ter duas federações nacionais: a Federação Portuguesa de Tiro com Arco e a Federação dos Arqueiros e Besteiros de Portugal. No Algarve, este desporto tem-se desenvolvido mais no Sotavento, nomeadamente em Vila Real de Santo António, Tavira, Faro e São Brás de Alportel, sendo quase inexistente no Barlavento.

Pedro Bento, 44 anos, nascido em Lisboa de mãe lacobrigense, há uma dúzia de anos que se radicou em Lagos, ligado à cosmética. Praticava tiro com arco na capital, sentia a sua falta e iniciou a atividade, congregando um grupo de pessoas interessadas. Depois, havia necessidade de criar um clube ou encontrar um caminho mais fácil, uma coletividade interessada em abraçar a modalidade. O Grupo Desportivo das Portelas abriu-lhes as portas.

«Mas a minha área de trabalho também sofreu com a conjuntura e eu decidi levar para a frente um projeto antigo», disse Pedro Bento ao «barlavento». «As pessoas no clube não davam valor ao trabalho efetuado e a minha ambição era outra. Continuam com o seu campo, a funcionar nos moldes que pretendem, não tem nada com o meu projeto e eu decidi dar condições a mais gente para praticar, mas com condições».

Apresentou o seu projeto à Boavista Golf & Spa Resort, um empreendimento turístico-imobiliário com capital britânico, entre Lagos e a Praia da Luz. O seu atrativo principal é um campo de golfe, para uma clientela maioritariamente estrangeira, e portanto, mais familiarizada com a prática de tiro com arco. A iniciativa foi aceite e está a funcionar, com sucesso, desde outubro do ano passado. Segundo o nosso entrevistado, facilmente se consegue que uma família em férias (crianças a partir dos seis anos podem experimentar) tire uma hora para se divertir em conjunto.

Já se encontra em fase de arranque um segundo campo, com melhores condições (50 metros de frente e 100 metros de profundidade), capaz de receber seleções e equipas estrangeiras para estágio, seja com arco recurvo, ainda usado nos Jogos Olímpicos, seja com arco compound, equipado com roldanas e desmultiplicações para diminuir o esforço e aumentar a eficiência do tiro. E também um «circuito de caça» com 28 alvos permanentes, em papel e tridimensionais.

Segundo Pedro Bento, a «Archery Fun» será a primeira entidade a receber e instalar em Portugal a «Arc Trap», uma máquina que lança discos ao ar para se atirar em voo com arco e flecha. E, em exclusividade, a «Archery Tag», uma simulação de combate com arco e flecha, produto americano com garantia de segurança, na linha do paintball. Todas estas novidades estarão em funcionamento no início do próximo ano.

Contudo, de acordo com a sua intenção inicial de «fazer crescer» a modalidade, vai organizar uma abordagem às escolas do concelho de Lagos, oferecendo aos alunos e professores a possibilidade de se iniciarem no arco, a custo zero.

A finalizar, foi-nos explicado que a atração pela modalidade provém da facilidade de aprendizagem, porque tem um movimento único, podendo ser praticado como divertimento, atingindo algum alvo com facilidade. E é ótimo em termos de postura corporal e, no caso das crianças, desenvolve a parte cognitiva e a atenção. «Mas não deixa de ser uma arma e a segurança aqui funciona a 100 por cento», avisa Pedro Bento.

O preço-base é de 10 euros para uma hora de prática, para quem trouxer o seu equipamento. No futuro, qualquer atleta português federado terá 50 por cento de desconto. Os residentes (nacionais ou estrangeiros) também estão a beneficiar de 50 por cento sobre o valor da mensalidade, que era de 50 euros. Quem estiver interessado em reservar ou saber mais sobre a atividade poderá ligar para o telefone 961 462 751.

Categorias
Desporto


Relacionado com: