«365 Algarve» com cinema música e teatro para os mais novos

O «365 Algarve» propõe uma viagem pelos espetáculos infantis, pela gastronomia e pela criatividade utilizada para preencher lacunas em filmes inacabados.

O concerto encenado «Kaô – Embalos do Mundo» é a proposta desta 3º edição do «365 Algarve» para os mais novos, no mês de dezembro, inserido na programação cultural «Lavrar o Mar» que acontece em Aljezur e Monchique.

O espetáculo tem lugar no dia 8 de dezembro, sábado, em Aljezur, e no dia 9 de dezembro, domingo, em Monchique.

Partindo de canções transmitidas de mãe para filho(a), de geração em geração, três mulheres exploram a força das vozes femininas e do canto polifónico, num espetáculo de teatro e música com melodias de «acalantar» lusófonas e ibero-americanas.

«Kaô – Embalos do Mundo» é uma viagem poético-musical criada por «A Monda Teatro Música», com ações e canções sobre os primeiros passos e compassos na vida.

Prosseguindo a viagem pelo mundo artístico e cultural, numa intima associação ao território algarvio, a programação de dezembro do «365 Algarve» destaca-se ainda no cinema, com a 3ª edição do VIDEO LUCEM, que revelará um conjunto muito especial de filmes parcialmente parcialmente perdidos ou inacabados.

O VIDEO LUCEM propõe ver a potência, enorme e criativa, do que ficou por dizer, por musicar, por realizar. Lançou a músicos, atores e outros artistas o desafio de preencher esses vazios. O ponto de partida é o guião ou a ideia original de cada filme, assim como as narrativas sobre o que terá levado à sua condição de objetos interrompidos. Escolheram-se filmes que contam histórias de ficção ou documentais de vários lugares do mundo. Alguns são relacionados diretamente com o Algarve.

A primeira sessão acontece a 15 de dezembro, às 21h30, no Antigo Armazém da Conserveira do Sul, em Olhão, com a exibição do filme O Homem dos Olhos Tortos, de Leitão de Barros e Luís Reis Santos 1919, um filme mudo inacabado, português, de 1919.

Tendo por base o folhetim «O Mistério da Rua Saraiva de Carvalho», de Reinaldo Ferreira – mais conhecido como Repórter X -, publicado na edição vespertina do jornal O Século, entre 1917 e 1918, este filme relata uma história de mistério e crime.

Problemas financeiros levaram à falência da produtora e ao abandono das filmagens, quando já estava completa cerca de 70% da rodagem. Nesta montagem, para ultrapassar as lacunas do filme, foram colocados cartões que explicam a ação em falta.

A cópia do filme, que agora vai ser exibida, resulta de um trabalho de restauro, também ele criativo, por parte da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, com a ajuda do texto original de Reinaldo Ferreira.

O acompanhamento ao piano de Júlio Resende (natural de Olhão), e a voz de Salvador Sobral farão desta sessão uma oportunidade ímpar de ver um filme guardado, e muito pouco exibido, como numa experiência de cinema vivo.

O VIDEO LUCEM estará uma vez por mês, a partir de 15 de dezembro e até maio, em Olhão, Estoi (Faro), S. Brás de Alportel, Portimão, Alcoutim e Tavira.

A edição deste ano do VIDEO LUCEM propõe ainda acompanhar a viagem cinematográfica com uma experiência gastronómica, através de uma parceria com a Eating Algarve Food Tours, empresa galardoada com o prémio «Culinary Tour Company of the Year 2019 in Algarve» pelos Travel and Hospitality Awards.

Uma experiência guiada, onde para além da gastronomia, dos monumentos emblemáticos e das salas de cinema das localidades, serão destacados episódios e curiosidades históricas que estejam mais diretamente relacionados com a temática dos filmes em exibição.

O objetivo é estimular a imaginação e abrir o apetite dos visitantes para um jantar em grupo, seguido das respetivas sessões de cine-concertos, pelo que cada bilhete para os roteiros histórico-cinematográficos inclui: guia local, roteiro histórico-cultural, jantar regional, bilhete cine-concerto em lugares reservados, conversa com os músicos depois da sessão.

Dezembro é também o mês em que terminam as possibilidades de inscrever filmes para o Festival Internacional de Cinema e Literatura de Olhão (FICLO), cujo prazo de «call for entries» fecha dia 31.

O festival tem datas de apresentação marcadas entre 4 e 13 de abril 2019 e os filmes podem ser submetidos através do seguinte site.

Organizado pelo Cineclube de Tavira, em coprodução com a Câmara Municipal de Olhão e com o apoio do «365 Algarve», o FICLO procura, através de uma programação criteriosa e atividades paralelas, mostrar a simbiose e os múltiplos cruzamentos entre cinema e literatura, propondo pensar e criar novas relações entre ambas as práticas artísticas.

Em fase pré-festival, acontece entre 10 e 16 de dezembro uma Oficina de Encenação orientada por Rogério de Carvalho (Grande Prémio da Crítica de Teatro, Prémio da Crítica da Melhor Encenação e Prémio Almada), para todos aqueles que queiram aprofundar o seu trabalho na área teatral.

Entre outubro e maio, o «365 Algarve» apresenta uma programação cultural dinâmica e de elevada qualidade que promete criar na região algarvia momentos ímpares de alegria, conhecimento e entretenimento.

A Viagem é o tema da edição deste ano. Um conceito que simboliza o que o «365 Algarve» se propõe fazer ao longo de oito meses, oferecendo a oportunidade de, simultaneamente, usufruir de um território de características especiais, único na conjugação entre mar e serra, e de um total de 402 espetáculos, entre concertos, teatro, eventos e visitas ao património cultural desta região de Portugal.

O desafio desta Viagem é o da descoberta de outros mundos, palpáveis e, também, imateriais. Percorrendo os vários concelhos algarvios, o «365 Algarve» guia este percurso através da música, das artes performativas, do cinema e da literatura, conjugando-os com as tradições e história da região, numa aventura de exploração e descoberta que une as artes e o turismo.

A programação completa encontra-se disponível no site site «365 Algarve» e nas redes sociais.

Categorias
Cultura


Relacionado com: