Mosaico romano do Deus Oceano já é Tesouro Nacional

Foi aprovado hoje, quinta-feira, dia 3 de maio, no Conselho de Ministros a classificação como de interesse nacional (BIN) — Tesouro Nacional — do mosaico romano do Deus Oceano, pertencente ao acervo do Museu Municipal de Faro.

Esta classificação é o resultado de uma proposta da Câmara Municipal de Faro e de uma deliberação favorável da Secção de Museus, da Conservação e Restauro e do Património Imaterial do Conselho Nacional de Cultura (SMUCRI -CNC), de 08 de fevereiro de 2017 e de proposta da Direção -Geral do Património Cultural ao Ministro da Cultura para a referida classificação, de acordo com os artigos 17.º, 18.º e 10.º, por remissão do n.º 2 do artigo 20.º in fine, todos do Decreto -Lei n.º 148/2015, de 4 de agosto.

O mosaico romano do Deus Oceano foi inicialmente descoberto nas Ruas Infante D. Henrique e Ventura Coelho, em 1926 e redescoberto, escavado e levantado em 1976, pelos arqueólogos Manuel Maia e Maria Maia. Foi restaurado no Museu Monográfico de Conímbriga e em 1981 já consta do «Guia dos Museus Municipais» de José António Pinheiro e Rosa que a ele se refere como «as informações sobre o mosaico poderá lê-las na vitrine central. Nas outras, além de amostras da parte do mosaico inconscientemente destruída em 1926 e de outras dos frescos das paredes subjacentes a este pavimento (urbanização anterior) poderá ver e identificar lucernas romanas, peças e fragmentos – tudo produto de escavações ocasionais no âmbito da cidade e até da sua ria.”, assim desde 1981 que o mosaico romando do Deus Oceano, pela mão de José António Pinheiro e Rosa, é uma das peças emblemáticas do então Museu Arqueológico e Lapidar Infante D. Henrique, que tinha acabado de mudar de instalações para o Convento Nossa Senhora da Assunção (onde hoje se mantém) e que lhe dedicou uma sala, onde ainda hoje permanece com nova museografia».

Vários são os projetos de investigação, de valorização e educação que ao longo das últimas décadas lhe foram sendo dedicados, destacamos os trabalhos de Janine Lancha, Adília Alarcão, Catarina Oliveira e Catarina Viegas, a quem reconhecidamente

agradecemos os estudos realizados desde a década de oitenta do século XX, até finais da primeira década deste século. Para dar a conhecer aos mais jovens para além das imensas atividades realizadas, sobretudo a partir de finais da década de 90, do século XX, destacamos na primeira década de 2000 a edição de livro infantil e CD didático dedicado ao mosaico Oceano.

Neste sentido, o Partido Socialista e os seus vereadores eleitos na C.M de Faro felicitam o Governo pela classificação do mosaico romano do Deus Oceano, como Tesouro Nacional, bem como todos os investigadores externos e técnicos/equipas do Museu Municipal que ao longo das últimas três décadas contribuíram para esta classificação bem como a autarquia farense nestes mesmos mandatos.

Categorias
Cultura


Relacionado com: