Jorge Marco Sousa Santos ganha «Prémio Nacional de Ensaio Histórico António Rosa Mendes»

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António entregou, esta segunda-feira, o «Prémio Nacional de Ensaio Histórico António Rosa Mendes», no valor de 10 mil euros, com o objetivo de promover a investigação e a literatura sobre história no nosso país.

Marco Sousa Santos, autor da obra «Contributos para a História da Escravatura no Algarve durante a Época Moderna (1444-1773)», foi o grande vencedor da segunda edição do prémio, tendo em consideração o mérito historiográfico revelado.

O júri deliberou ainda atribuir menções honrosas às obras «Ferragudo: uma economia local no Algarve de setecentos», de David Eduardo Vicente Roque e «A Mesa da Consciência e Ordens o tenha assim entendido. A informação em habilitações e provimentos (séc. XVIII)», de Nelson Vaquinhas.

Este concurso, lançado no âmbito da homenagem da autarquia de VRSA e da academia algarvia ao ilustre vila-realense António Rosa Mendes, falecido em 2013, destinou-se a galardoar o melhor ensaio histórico inédito na modalidade, com tema livre, mas circunscrito ao período da Idade Moderna.

Do painel de jurados fizeram parte os seguintes elementos: Professores Doutores Joaquim Romero Magalhães (Universidade de Coimbra), José Esteves Pereira (Universidade Nova de Lisboa), José Eduardo Horta Correia (Universidade do Algarve), Luís Filipe Oliveira (Universidade do Algarve) e Arquiteto José Carlos Barros (Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António).

Para Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA, «este concurso, inédito no país, honra o nome e o legado de António Rosa Mendes e faz do município uma referência nacional ao nível do impulsionamento da cultura e da investigação histórica».

A cerimónia de entrega dos prémios decorreu esta segunda-feira, nos Paços do Concelho de VRSA, e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de VRSA, Luís Gomes; da vice-presidente da autarquia, Conceição Cabrita; do presidente da Assembleia Municipal de VRSA e membro do júri, José Carlos Barros; da Diretora Regional de Cultura do Algarve, Alexandra Livramento; e do vice-reitor da Universidade do Algarve, Paulo Águas.

Sobre António Rosa Mendes

Natural de Vila Real de Santo António, António Rosa Mendes foi um professor emérito, respeitado e admirado por alunos e colegas e por toda a comunidade das suas relações, tendo contribuído para impulsionar a investigação científica em torno da História do Algarve.

Foi, durante a sua vida, reconhecido publicamente como um homem íntegro, culto, humanista, desprendido, humilde, com caráter, princípios e coragem cívica, tendo as raízes algarvias marcado toda a sua intervenção académica, social e política.

Categorias
Cultura


Relacionado com: