Grandes nomes do Jazz nas Fontes de Estômbar

Cartaz apresenta músicos de instrumentos pouco habituais neste estilo musical. Qualidade marca a diferença do festival prestes a decorrer em Lagoa.

O Lagoa Jazz Fest é já um marco para quem aprecia este estilo musical, realizando-se no Sítio das Fontes de Estômbar, desde 2003, com exceção em 2012 e 2013, anos em que este evento não se realizou. A próxima edição está agendada para entre 23 e 25 de junho e tal como é habitual promete surpreender com grandes nomes do panorama atual.

É exemplo o músico Marius Preda, que apresentará um espetáculo «único», no sábado, dia 24 de junho. Ao «barlavento» Joaquim Andrés, um dos responsáveis da «Ao Vivo Produção», destacou que «ele é um instrumentista multifacetado. A preferência dele é o cimbalom, que é um instrumento muito antigo. Mas também toca violino, piano, acordeão e é muito virtuoso em qualquer um deles», sublinhou.

Por isso, «optámos por, no segundo dia, fazer só um concerto, porque a quantidade de instrumentos que domina e o nível que apresenta em cada um, merece toda a atenção e um destaque na programação. A qualidade é um dos critérios que consideramos importantes neste evento. Um concerto de uma hora apenas não iria permitir que o Marius Preda 4teto mostrasse toda a mais-valia que é, e todo o seu potencial», justificou o responsável pela produção do Lagoa Jazz Fest, com organização da Câmara Municipal de Lagoa.

Na sexta-feira, 23 de junho, esta iniciativa abre com o concerto de Pasquale Stafano, ao piano, e Gianni Iorio, com o bandoneon, que apresentam «Nocturno». «No Algarve há muitas pessoas que gostam de acordeão. Este é um instrumento de fole», com sonoridades semelhantes, mas não típicas em atuações de jazz, argumentou.

Nessa noite ainda sobe ao palco o projeto português «Alma Nuestra», onde está envolvido Salvador Sobral, o recém-vencedor do Festival da Eurovisão. Ainda assim, o que o que irá a apresentar em Lagoa é de âmbito diferente da carreira que tomou a solo. Atuará acompanhado pelo pianista e compositor cubano Victor Zamora.

A última noite, a 25 de junho, será reservada à banda Kolme, composta por músicos que costumam tocar com grandes artistas portugueses. «É um trio tradicional (piano, bateria e contrabaixo) e acho que é um dos melhores projetos que aconteceu nestes últimos anos em Portugal. O festival fecha com Alberto López que é um grande guitarrista flamenco», resumiu Joaquim Andrés.

Kolme – Estúdio Vale de Lobos
shot by Paulo Muiños

Por este palco em Lagoa já passaram grandes nomes internacionais, como Stanley Jordan (USA), Richard Galliano (França), Concha Buika (Espanha), New York Voices (USA), Lokomotiv (Portugal), J.D.Walter (USA), Antonio Faraò (Itália), Omar Akim (USA), Maria João e Mário Laginha (Portugal), Edmar Castaneda (Colômbia) ou TGB (Portugal).

Joaquim Andrés enalteceu a importância de algumas destas escolhas e da importância que o Lagoa Jazz Fest teve para dar a conhecer alguns deles. «Por exemplo, os New York Voices já ganharam cinco Grammy, mas por cá passaram ainda muitos artistas premiados. Às vezes, são projetos emergentes, ou não sendo grandes nomes mediáticos, são grandes na música jazz. Hoje, Concha Buika é uma das maiores cantoras da world
music
do mundo, enquanto Edmar Castaneda é um instrumentista de harpa, que quando esteve em Lagoa não era muito conhecido», mas passou a ser e «nós congratulamo-nos com essa alteração da realidade», exemplificou.

A organização do festival e a escolha dos nomes passa por procurar a qualidade de projetos. «A nossa primeira prioridade é a qualidade, ou seja, a atuação em palco. Por vezes, o disco pode ser um grande disco, mas em concerto não funciona tão bem. Temos sempre esse cuidado de ver se em palco funciona. E, de facto, temos tido a sorte de trazer artistas que são bons na atuação ao vivo», contou.

O segundo critério passa pelos instrumentos utilizados, que são sempre pouco usuais neste estilo. «No ano passado tivemos a artista japonesa Mieko Miyazaki, que tocava koto, um instrumento muito antigo e muito belo», reforçou.

Por outro lado, a organização tenta sempre dar destaque a projetos portugueses em todas as edições do Lagoa Jazz Fest. A ideia é «ter sempre novidades, até porque há muito bons músicos de jazz em Portugal», assegurou Joaquim Andrés.

Em paralelo, o recinto terá ainda outras atividades que complementam os concertos principais. É o caso do espaço lounge, que, de acordo com o organizador do evento, terá animação do guitarrista Antonio Mardel, antes e após os espetáculos.

O grande destaque é a exposição de pintura da autoria de Xicofran (Francisco Fernandes) alusiva à temática do jazz. «Todos os anos há uma mostra diferente relacionada com este estilo musical, seja de fotografia ou pintura. Nesta edição vamos ter, na minha opinião, o melhor pintor de jazz, provavelmente, a nível mundial. Já não é a primeira vez que ele vem ao Festival, mas, de facto, ele é um dos grandes talentos da geração» a que pertence, evidenciou Joaquim Andrés.

As expetativas para este evento, conforme afirmou o organizador, estão dentro do que tem sido o Festival nas edições anteriores. «Temos um público fiel e que tem vindo a crescer, que é conhecedor e apreciador do jazz. Este festival já ganhou alguma projeção e há muitas pessoas que retornam». Na opinião de Joaquim Andrés não há poucos eventos de jazz no Algarve e estes são bons. No entanto, são diferentes do que é organizado no Sítio das Fontes de Estômbar. «Este ganhou uma característica diferente e tem a ver com a direção artística, com o meu sócio António Palma e comigo, e com a própria Câmara Municipal de Lagoa. Está ligado ao compromisso de fazer um festival diferente, onde o jazz seja a marca de água tal como a qualidade. Mas não só. São também os estilos usados, as instrumentações e o espaço envolvente», enumerou.

Os bilhetes custam dez euros e já estão disponíveis para compra no Convento de São José, no Auditório Municipal e no Balcão Único Municipal de Lagoa, Worten e Fnac, bem como na plataforma online ticketline (https://ticketline.sapo.pt/). O recinto abre às 19h00, estando os concertos agendados para as 22h00.

Categorias
Cultura


Relacionado com: