«Fazer Render o Peixe» despede-se esta noite de Portimão

O Museu de Portimão recebe hoje, quinta-feira, 13 de abril, a última iniciativa do projeto Fazer Render o Peixe em Portimão, que visa fechar com chave de ouro este ciclo de arte e gastronomia iniciado em Outubro.

Pelas 18h00 serão inauguradas as exposições «Natureza-Morta em Movimento» de Douglas Fitch, e «Cirúrgico» de Filipe Lucas Frazão, ao que se seguirá o jantar da autoria do chef Gilles Stassart.

Douglas Fitch, renomado e multifacetado artista americano, cuja carreira cobre diversas áreas desde a arquitetura à cozinha, passando pela ópera e pelas artes cénicas, presenteará o público com uma curta-metragem, resultante de uma sessão de filmagem no restaurante São Gabriel, em Almancil, e que contou com a colaboração de Cynthia McVay, a técnica de animação Marina Estela Graça (docente na Universidade do Algarve) e o chef Leonel Pereira.

Este pequeno filme em stop motion caracteriza-se por os produtos que compõem a despensa de um restaurante de referência surgirem literalmente como elementos plásticos, simulando cinematograficamente uma natureza-morta animada. Esta obra, que vai beber a uma enorme tradição nas artes, em Portugal celebrizada por Josefa de Óbidos, ultrapassa os limites técnicos estabelecidos na pintura, para revelar no vídeo um aspeto humorístico de entretenimento e espetáculo que tradicionalmente não possui, mas a que não é alheio o percurso deste polivalente autor enquanto diretor artístico e marionetista.

A esta vertente, Doug Fitch acrescenta ainda a conjugação de três técnicas díspares: a fotografia, a pintura e a escultura, que convergem num ciclo de mutações entre a realidade e a «história» ficionada. Assim, ao fazer recurso de todos os media numa mesma exposição, Fitch concilia a mais longa tradição das artes com a mais contemporânea das abordagens.

Filipe Lucas Frazão, nascido nas Caldas da Rainha, tem-se dedicado à fotografia e ao styling de comida. Inserido na tendência da Food Porn, o blogue que alimenta, intitulado Chilli com Todos, é um dos pioneiros em Portugal dessa maneira íntima, sensual e suculenta com que se fotografam receitas e produtos.

«Cirúrgico» correspondeu a um desafio de documentar a pesca grossa algarvia, desde o registo do desmancho de atum na fábrica Conservas Dâmaso, em Vila Real de Santo António, passando por outras visitas a locais emblemáticos associados a este peixe com a respetiva confraria regional, até ao acompanhamento a chefs na cozinha, assistindo à preparação e empratamento dos seus respetivos pratos. Registar o percurso do peixe desde o primeiro corte foi o ponto de partida. Uma linha de tempo que começa com o recurso à força e à mestria progressivamente acumulada e que termina com a elaboração ponderada e quase introspetiva do prato final pelas mãos do chef.

Pelas 20h00, realiza-se o jantar a cargo do chef Giles Stassart, figura da arte e gastronomia francesas, que se propõe brindar-nos com um menu de degustação que concilia a finesse da cozinha gaulesa com o melhor peixe e marisco algarvios.

O jantar terá um preço de 70 euros e consistirá numa entrada de bisque de camarão ou lagosta com mousse e um apontamento de cacau em pó, seguida de um duo de ostras, uma em gelatina de água do mar e ervas locais e outra em vinho branco e zabaione. Como pratos principais apresenta-nos polvo em tempura de chili com tempura de batata-doce e concha de navalheira ou lingueirão com raspa de limão e amêndoa em creme de alho; atum braseado com crosta de amêndoas e molho de romã e peixe local; e galinha em ballotine recheada com camarão e cogumelos e puré de ervilhas e cenouras fumadas. Um delicioso sorvete de pepperoni e laranja, seguido de queijo e doces locais, servirão para limpar o palato e abrir caminho para a sobremesa, um nougat glacé de mel com uma nougatine de amêndoa e amendoim e creme de batata-doce com chá earl grey.

Os interessados em participar nas ações gastronómicas podem efetuar a sua reserva através do 282 405 230 ou [email protected]

«Fazer Render o Peixe» é um projeto onde a arte contemporânea e a gastronomia se cruzam em torno do mar e cultura algarvia, propondo pela mão de artistas e chefs de renome nacional e internacional diferentes exposições, instalações artísticas e ações gastronómicas, que prometem momentos de inesperada e criativa fusão entre sabores e artes visuais inspiradas na especificidade do território e riquezas marinhas da região. É promovido pela Câmara Municipal de Portimão, com a direção artística da Associação Aspas e Parênteses, realizado no âmbito do programa «365 Algarve», uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Economia (com a Secretaria de Estado do Turismo) e da Cultura, financiada pelo Turismo de Portugal, e conta com o apoio da Docapesca, Escola de Hotelaria de Portimão e da Comissão Vitivinícola do Algarve.

Categorias
Cultura


Relacionado com: