«Cantina» serve teatro culinário em Monchique

Público irá partilhar uma refeição, mas nada será convencional.

Depois de uma residência criativa em Aljezur, em fevereiro, a companhia belga Laika regressa ao Algarve com o novo espetáculo de teatro culinário «Cantina». As apresentações terão lugar de 19 a 21 de maio, às 20 horas, na Antiga Serração de Monchique. Com inspiração livre no icónico texto do dramaturgo alemão Bertolt Brecht «Santa Joana dos Matadouros», no qual se discutem conflitos e divergências de valores mas também uma sede de harmonia e busca de esperança, cozinha-se uma nova obra de teatro dos sentidos, especialidade desta companhia belga, que será conservada durante o inverno e servida à boca de cena na primavera.

«Cantina» tem lotação para 120 pessoas e é apresentado por quatro atores da companhia Laika, dois cozinheiros e seis a sete voluntários locais. O público entrará num fascinante mundo teatral onde se partilham sonhos, suor e riso e onde se come. Cantina é mais do que um espectáculo, é uma experiência que impele a levantar os braços e defender juntos um ideal comum, deixar a própria pele, descobrir afinidades com outras pessoas, deixar algo para mais tarde, como uma lata que só abrimos para reviver. É um lugar para desempacotar segredos e sonhos sobre o futuro.

Esta é uma produção conjunta de projeto «Lavrar o Mar» com Valletta 2018, Capital Europeia e La Ville d’Anvers (Antuérpia).

O «Lavrar o Mar – As Artes no Alto da Serra e na Costa Vicentina» é um projeto da cooperativa «Cosanostra», da coreógrafa Madalena Victorino e do programador e diretor artístico Giacomo Scalisi, para Aljezur e Monchique com o apoio do programa «365 Algarve» e os municípios de Aljezur e Monchique, e ainda do CRESC Algarve 2020.

Os bilhetes custam 10 euros e podem ser adquiridos, on-line na plataforma BOL e também em Aljezur (Rua João Dias Mendes)e em Monchique (Biblioteca Municipal).

Categorias
Cultura


Relacionado com: