Algarve Design Meeting reafirma Faro como capital criativa

Professores, designers, investigadores e finalistas apresentam os seus projetos e trabalhos à comunidade, de 20 a 27 de maio, em Faro, na sétima edição do Algarve Design Meeting.
António Lacerda, professor da Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve e coordenador geral do Algarve Design Meeting.

No ano passado, Jorge Cerveira Pinto, da ONG britânica Design Council, «ficou admirado com a logística e com tudo aquilo que fizemos» no âmbito do Algarve Design Meeting (ADM). «Olhou para o edifício da fábrica da cerveja e achou que teria potencial para acolher um centro de design de nível nacional. E que poderia ser um polo sustentável para mostrar a importância que o design representa para o desenvolvimento da sociedade», revelou ao «barlavento» António Lacerda, coordenador geral do evento que inaugura já este sábado, 20 de maio, às 18 horas. Uma opinião partilhada pela Universidade Técnica de Lisboa que escreveu um louvor, «a reconhecer a importância do trabalho desenvolvido» ao longo das sete edições deste evento.

Este ano, as várias salas do velho edifício serão, de novo, ocupados com exposições e instalações interativas de som e imagem. Será transformado numa «plataforma de criatividade» com 2000 metros quadrados. Mantêm-se a participação da Universidade de Tomas Bata, na República Checa, onde António Lacerda lecionou no âmbito de um programa Erasmus de mobilidade. «O país é líder em desenho digital e fiquei muito impressionado quando lá estive. Desde então, criámos uma relação muito forte», explicou ao «barlavento».

Um dos grandes momentos é a 4ª edição do festival internacional de videomapping. Vai contar com trabalhos experimentais de desenho digital e animação dos alunos da Universidade de Belas Artes do Porto, e também das Universidades de Aveiro, Lisboa e do Algarve. Terá também uma participação dos estudantes checos. Vai acontecer na fachada da Sé, sábado, dia 27, às 22 horas. Juntar todas estas instituições académicas «é algo inédito em Portugal». É possível graças «a uma máscara que desenvolvemos num sofware específico que simula no computador a projeção» à medida do monumento farense. «Teremos projetores específicos, com cerca de 20 mil lumens, para uma boa qualidade de imagem», adiantou ainda António Lacerda.

As palestras serão concentradas ao longo de sexta-feira, dia 26, e durante a tarde de sábado, dia 27. «Em termos de oradores posso destacar a presença de José Mendes, um dos melhores designers nacionais, responsável pela campanha comemorativa dos 90 anos da cerveja Super Bock. E também a presença do designer do Porto Diogo Rocha, recentemente premiado, assim como a apresentação do projeto Designers de Loulé, por Henrique Ralheta».

«Vamos apresentar o projeto Fototypes que usa a rede social instagram. São fotografias de locais onde existem aplicações de tipografia ou de caligrafia que têm importância estética e histórica. Por exemplo, publicidade vintage, néons, elementos tipográficos, letterings nas fachadas de edifícios antigos. Muitos destes elementos estão em risco de desaparecer ou já não existem». Ainda no âmbito da memória coletiva, o ADM vai acolher a inspiradora mostra «Ílhavo – Memória e identidade». Surge no ano da celebração dos 20 anos da formação em design da Universidade de Aveiro e é uma estreia no Algarve. É um trabalho que colocou os alunos em contacto direto, com os homens do mar da pesca do Bacalhau, num projeto que envolveu também o Museu Marítimo de Ílhavo e aquele município.

Retomando a ideia de criar um laboratório de design na capital algarvia, Lacerda recorda o objetivo inicial deste evento. «Surge numa disciplina chamada seminário, em que os alunos do curso de design da ESEC organizavam uma série de palestras, em conjunto com os professores, para trazer convidados à universidade. Pensei, porque não fazer algo diferente, sair fora de portas? E porque não organizar algo também aberto à comunidade? Fala-se muito no desenvolvimento da massa crítica. Penso que neste momento, já existe aqui. A prova é que estamos com sete anos de crescimento sustentável. O ano passado, abrimos portas às escolas e tivemos a visita de muitos turistas que visitavam a cidade. Além disso, somos cada vez mais procurados para desenvolver todo o tipo de trabalhos de design».

O orçamento ronda os 4 mil euros, mas segundo António Lacerda, «acaba por ser um trabalho de muitos voluntários e do esforço de muitas pessoas». O programa prevê workshops durante a semana, e sessões de cinema ao ar livre à noite numa parceria com o «Arquiteturas Film Festival» de Lisboa. Esta iniciativa, organizada pela ESEC da UAlg, conta com os apoios institucionais da Associação Nacional de Designers (AND), Direção Regional de Cultura do Algarve, Câmara Municipal de Faro e Universidade de Tomas Bata. Estará aberta ao público das 15 horas à meia-noite e conta ainda com um espaço lounge.

Categorias
Cultura


Relacionado com: