Fernando Silva Grade

  • A quintessência do pensamento autárquico

    Tendo acompanhado durante as últimas décadas o desempenho desassombrado daqueles que têm determinado o destino da terra algarvia, e que a resgataram de uma modorra arcaica indigna da civilização, demudando-a numa terra progressiva e trepidante, não posso deixar, ainda assim, de me surpreender com o lampejo inspirativo da autarquia de...
  • A Igreja Matriz de Olhão, cimento ou cal?

    O deplorável acontecimento da «reabilitação» da Igreja Matriz de Olhão, ocorrido na semana passada, traduz a regra no contexto da intervenção em edifícios antigos, em todo o território nacional. Tem-se assistido, por isso, nos últimos anos, à descaracterização generalizada de todas as igrejas e de todos os edifícios históricos,...
  • Petição em defesa do que resta do património arquitetónico de Faro

    Um grupo de cidadãos, entre os quais me incluo, acaba de lançar a petição pública «Não à destruição do que resta do património arquitetónico de Faro». Este abaixo-assinado, aberto a qualquer pessoa interessada, surge na sequência da demolição de parte de um quarteirão na zona nobre da cidade da...
  • Os mamarrachos e a roda da regeneração

    Vem este artigo a propósito da destruição vandálica de um quarteirão quase inteiro de antigas e belas casas algarvias, na zona nobre da cidade de Faro, para no seu lugar ser erigido o inevitável mamarracho. Na rua Reitor Teixeira Guedes subsistia, até há uma semana, um conjunto de interessantes...
  • A Cegueira de quem não Alcança

    «Bem quereria, George, Bem quereria mostrar-te o meu país que foi de Marinheiros; Mas já não há marinheiros. Há um deserto de tudo. Um povo que calçou pantufas no espírito E se dá ares sem saber de quê (…)» Fernando Cabrita, poeta de Olhão O mal-entendido que contamina, desde...
  • As vistas de Olhão

    O sentimento que todos os habitantes de Faro têm, sobre o esplendoroso cenário da Ria Formosa, é de um grande desgosto e de um sentido de perda, isto devido à construção, há um século, da linha de caminho-de-ferro e do aterro que o suporta, e que secou para sempre...
  • Praia Maria Luísa: prevalece o perigo e o cinismo

    A nova derrocada verificada na extremidade poente da Praia Maria Luísa, felizmente sem causar vítimas, permitiu de novo perceber uma atitude inconsequente e cínica por parte da APA. Em primeiro lugar, a APA defende que só há dois factores que contribuem para os desmoronamentos – a ação do mar...
  • Gomes da Costa e o seu legado

    Numa altura em que continuamos a assistir a uma subversão total da função da arquitetura na construção dos espaços urbanos e rurais é pertinente refletirmos na obra do grande arquiteto modernista algarvio, Manuel Gomes da Costa. Em termos sintéticos, podemos dividir a história da arquitetura no Algarve, em três...
  • A Última Praia

    «Rochedos que a ação do mar e dos ventos foi roendo, semeando-se ao longo da costa em leixões das formas mais diversas: pirâmides, esfinges, castelos e basílicas; e que na parte de terra se cavam em fojos cilíndricos, em grutas profundas, em túneis circulares, por entre derrocadas de penedias...