Estrada romana de Moncarapacho vira percurso pedestre

A Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão (APOS) e a Associação para a Valorização e Promoção do Património (Hera) vão dinamizar e recuperar a antiga...

A Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão (APOS) e a Associação para a Valorização e Promoção do Património (Hera) vão dinamizar e recuperar a antiga estrada romana de Moncarapacho (Olhão), tornando o circuito visitável e apto a acções de promoção turística e cultural.

Em declarações ao «barlavento», Fábio Carbone, presidente da Hera, uma associação de defesa do património nascida em Aveiro, mas com presença no Algarve há mais de um ano, explicou que, neste momento, está ser feito o levantamento completo do percurso, embora a quase totalidade do caminho esteja «visitável e limpo».

«Para já, a nossa intenção é divulgar o percurso, até porque muita gente não conhece a importância daquela estrada, nem sabe do seu valor histórico», avança o arqueólogo da Hera.

Numa segunda fase, o projecto quer ir mais além, estando em carteira a marcação do caminho e sua integração numa rota pedestre homologada.

Aproveitando a experiência da associação no trabalho com as comunidades locais, Fábio Carbone quer também criar motivos de interesse para que as pessoas visitem e protejam o local.

«Afinal, não se pode pedir às pessoas que saiam de casa só para observar alguns metros de um caminho que se diz ter importância histórica», considera.

A pensar nisso, as associações envolvidas no projecto vão, no dia 8 de Junho, fazer uma marcha-passeio interpretativa para chamar a atenção da importância daquele troço que revela vestígios da presença romana e medieval, embora não se encontre classificado pelo Igespar.

«De acordo com a investigação feita por mim e pela minha equipa, podemos afirmar que, apesar de a maior parte do troço e da ponte apresentarem características que nos levam à época medieval, a origem da via é romana, como demonstra a utilização de grandes lajes de calcário marmoreado», precisa Carbone.

Apesar da boa conservação da maioria do percurso, há partes da estrada que já foram destruídas ou danificadas aquando da colocação de tubagens públicas, em 2003, a Norte da vila de Moncarapacho. Uma situação que os responsáveis pretendem evitar, tornando agora mais visível a presença da via histórica.

O projecto de recuperação da estrada romana foi um projecto iniciado pela associação olhanense APOS, que decidiu aproveitar o know-how da Hera em trabalhos semelhantes desenvolvidos noutros pontos do país.

A Universidade do Algarve é um dos parceiros do projecto, embora as associações queiram envolver as autarquias e colectividades locais na promoção daquela rota histórica do barrocal.

Passeio pedestre inaugura projecto

As associações Hera e APOS vão inaugurar o projecto de valorização da estrada romana de Moncarapacho, no próximo dia 8 de Junho, a partir das 8h30, com uma marcha-passeio.

O percurso, de quatro quilómetros, terá a duração de duas horas e meia e será de dificuldade média-baixa. A visita será guiada por técnicos e arqueólogos e a participação é gratuita, mediante inscrição pelo mail [email protected]

O percurso a visitar pertence a uma das vias que saíam da antiga cidade romana de Balsa – hoje, Luz de Tavira – e confluía com outra via que ligava directamente a Ossónoba (Faro).

Categorias
Arquivo


Relacionado com: